Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Convergência

por the fazz, em 20.09.12
Sala de espera de consultório. Dois celulares tocam, simultaneamente, o mesmo ringtone: o tema de abertura de 30 Rock. Os dois rapazes se entreolham. O mesmo riso escapa dos dois lábios em tom incrédulo. Ignoram suas chamadas, sua orientação sexual e sem qualquer cerimônia, trocam seus números de telefone.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:19

Moderninho, esse menino

por the fazz, em 19.10.10

- Eu não entendo porque a gente não pode continuar junto e sair também com outras pessoas. Vai, não me olha assim. Não tem porque. Eu não me importo que você fique com outros caras... Eu... eu não achei mesmo que você se importasse... Você sabe que não funciona, monogomia é um retrocesso. Olha pra mim, o fato de eu sair com outras meninas não quer dizer que você não é especial... Você é uma mulher tão inteligente, nunca imaginei que você fosse encarar isso de uma forma tão... tão ultrapassada...

- Você gosta de História?

- História?

- É. Guerra, miséria, revolução, essas coisas...

- Sim, sim, claro. Acho que sim.

- É engraçado, né. As pessoas quando falam do passado, elas se dividem em dois grupos. O grupo dos que lamentam por aqueles que não sabiam ainda o que era um mp3 e aqueles que gostariam de herdar receitas de família, ao invés de buscar no Google como se ferve leite.

Ele ri, um pouco aliviado da pressão. Ela prossegue.

- Pois é. E a História também é dicotômica, assim. Homossexualidade, por exemplo. Tem muita gente que ainda enxerga um grande tabu no tema. Acham que gay é que nem internet, na geração passada ainda não existia. E no entanto, a História ensina que na antiguidade, simplesmente não havia o conceito de homossexualidade. Há 10 mil anos, nas tribos de Nova Guiné e Fiji, a viadagem era ritualística. Os melanésios acreditavam que o conhecimento sagrado só podia ser transmitido por meio do coito entre duplas do mesmo sexo. Tinha ritual com homens vestidos para representar um espírito dotado de grande alegria, fazendo performances dignas de uma drag queen. Ganesh, o deus hindu, teria vindo da relação de duas mulheres, e por aí vai...

- Mais uma cerveja?

- Claro. Mas continuando. Quando você fala e se exalta com a sua estimada poligamia... eu me lembro da Idade da Pedra Lascada, quando os machos dominantes se casavam com várias mulheres, seguindo o comportamento de animais polígamos, como o bisão e, adivinha só... o veado!

- O que é um bisão?

- Na tribo, os homens tinham esse objetivo, fertilizar o maior número de mulheres possível. Era também uma forma de demonstrar liderança. As melhores caças, as melhores mulheres, a melhor cabana. Tudo pra que o pobre neandertal se sentisse seguro e afagado. Isso faz um tempinho, tipo, três milhões de anos. Mas desculpe, eu acabei te interrompendo... você estava dizendo que eu era ultrapassada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:51

A ou B

por the fazz, em 12.09.10

Ele tenta abrir o vinho, com certa dificuldade. Fica enrubescido, tenta se explicar, pedir desculpas pelos utensílios da sua cozinha que não colaboram e, aparentemente, tentam arruinar seu encontro.

- É... desculpe, eu sempre passo vergonha com esse saca rolhas... ele... não perfura a rolha direito, tá vendo? Eu já estraguei outros vinhos antes, a rolha desmancha, precisa pressionar primeiro assim antes de começar a rosquear... tem um certo jeitinho, espero que dê certo... e... é.... desculpe...

- Eu acho que não tem graça nenhuma uma casa que funciona... onde tudo funciona...

Ele interrompe o pequeno truque e começa a ouvi-la, com curiosidade.

- ... É, cada casa tem um truquezinho. Um macete pra abrir a porta, um jeitinho de fazer a luz do corredor acender... é como se fosse um pet que só faz graça pro dono e pra mais ninguém.

- Bem, obrigado por usar um pouco de poesia pra impedir que eu me sinta um desleixado...

- Não, não é pra se envergonhar. É só mais uma que a sua cozinha apronta pra transformar você num herói de uma pequena conquista, como abrir uma garrafa de vinho.

Ele a olha com demora. E como não se decide se revela o que está pensando ou suspira, acaba por fazer as duas coisas, concomitantemente.

- Eu gosto de você.

Daí, acontece algo muito familiar à algumas pessoas. Ela não quer cometer a gafe de ter ouvido algo que não foi pronunciado. Tenta buscar na memória frases com semelhança fonética, que talvez não sejam tão boas quanto o que ela acha que acabou de ouvir. Mas decide arriscar.

- Você gosta de mim?

- Gosto. Muito.

- Mas... você gosta mesmo ou... só está... talvez um pouco sugestionado... pelo momento, pelo vinho, pela música... porque essas coisas acontecem, eu entendo... tipo, você sentiu isso agorinha e bateu uma vontade de dizer algo que encaixasse com a situação, é isso?

- Qual era a primeira opção mesmo?

- Se você gosta mesmo de mim.

- É, vou continuar com essa.

 

(Livremente inspirado no saca rolhas de Rodrigo de Março)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:08

Azaração. Se tem esse nome, boa sorte é que não é.

por the fazz, em 08.01.10

1- Gente, o que é esse sorriso? Ok, lá vamos nós.


2- Ele não tem mau hálito.


3- Sim, eu quero sair daqui.


4- É. Vou ter que explicar o que é indie rock. É melhor eu nem comentar que gosto de downtempo.


5- Ele acha a Europa feia porque só tem "coisa velha".


6- Ele acha que "Viver a Vida" é só o título da novela.


7- Acabou de ver meu "Drummond' e disse que em casa servia como um bom calço.


8- Não, meu bem, eu te garanto que não foi o Chico Buarque quem regravou a Pity. Isso é uma heresia.


9- Não, heresia não tem nada a ver com ereção.


10- Ele acabou de dizer "disintiria".


11- Tá, já chega, eu não sei porque eu ainda tô dando corda pra essa topeir...


12- Oh, não, droga... esse sorriso de novo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47

Seu cheiro, de repente, na locadora.

por the fazz, em 24.12.09

Meu bem, hoje senti o seu cheiro. Eu estava tentando escolher um desses filmes de enredo fraco, algo que fizesse parecer que os meus roteiros são muito interessantes. O seu perfume bom vinha da seção de filmes adultos e usei todo meu (escasso) poder de interpretação para fingir interesse na capa de "Jorrada nas Estrelas". Guiada pelo aroma e um pouco de insanidade, descobri enfim o rapaz interessado na capa de "Pênis, o Penetrinha". Era ele. E ele, meu bem, era tão, mas tão obcenamente feio que, apoiada no fato de que o olfato é o mais mnemônico dos sentidos, eu devo suplicar: troque de perfume, por favor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:49

Carta para Letícia

por the fazz, em 30.11.09

Letícia. Eu estive pensando em todas as suas colocações e não posso ser tão insensato ao ponto de achar que você não tenha razão em muitos dos seus argumentos. Você está absolutamente certa em me acusar de ter subestimado pequenas coisas que sempre foram fundamentais pra você. Eu sei que muitas delas não estavam ao alcance da minha compreensão, mas isso de nada invalida o fato de que o que você pensa deve ser respeitado. Às vezes é muito difícil compreender como funcionam suas expectativas e você tem absoluta razão em afirmar que são expectativas comuns a toda mulher e que eu sou um tolo de não ser sensível a isso. É inquestionável a sua colocação de que eu sou fraco, covarde e muitas vezes vivo pela metade as oportunidades que a vida me dá. Não há discussão quanto ao que você falou da minha imaturidade. Eu tive poucas mulheres na vida e pouco soube lidar com cada uma delas. Você tem razão quando me acusa de usar as palavras erradas em situações diversas. E usar palavras diversas pra tornar erradas as situações. Você está certa em me acusar de egocêntrico, arrogante e patologicamente pessimista. De ter sido desagradável com sua família. De ter dado pouco valor aos seus esforços em fazer a vida tratar a gente um pouco melhor. Por ter me exaltado pouco com suas conquistas, por ter apagado alguns sorrisos seus, por ter frustrado alguns dos seu sonhos. Mas quanto à todas as suas outras colocações, Letícia: vai tomar no seu cu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:27

Um banquinho, um violão

por the fazz, em 14.10.09
Pedimos cervejas, nos acomodamos, rimos juntos de piadas fáceis. E então, para nossa surpresa, um rapaz puxa um banquinho. Abrindo um zíper, revela um vistoso violão e começa a tocar sucessos da MPB. Logo meus amigos e eu percebemos que não podíamos perder a oportunidade de fazer um pedido ao dedicado músico. Apressamo-nos em alcançar um guardanapo e uma bic sem tampa para enviar a mensagem: Por favor, NÃO toque "Se" do Djavan. Obrigado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:55

Salvar documento

por the fazz, em 22.09.09

Achei que devia avisar que eu gosto mesmo de você. Não com romantismo e reais expectativas de que seja um sentimento mútuo. Apenas pra constar. Que nos arquivos da sua memória, haja um anexo na minha ficha que declare, alerte, informe que trata-se de uma pessoa potencialmente atraída por você. Uma informação que ative um alerta cognitivo de "watch out", que seja emitido sempre que você tiver as idéias que geralmente tem. Como o de explicar qual lado do meu cérebro está ativado quando eu ouço Nina Simone. Explicar a etimologia da palavra "suspiro". Fazer um interurbano pra cantar a versão forró traduzida de "Nothing Compares" da Sinead O'Connor. Escrever e-mails com o emprego correto do ponto e vírgula. As suas tentativas de fazer meu cabelo ficar bonito e não se importar que eu diga que isso é muito bicha da sua parte. De me abraçar por mais de 8 segundos e saber exatamente qual perfume eu tô usando. De repetir o fim das minhas frases imitando o Barbosa, só pra me fazer rir. De não se importar que eu sempre durma na metade dos filmes que você escolhe e ainda me premiar com um cafuné. Entenda, é importante que você registre isso, porque é por essas e outras pequenas bobagens que eu acabo quase acreditando que você sente o mesmo. Seu cretino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:23

Soluções do dia-a-dia

por the fazz, em 13.08.09

Depois das 6 primeiras agonizantes horas do dia, tomada pela ansiedade e pelas previsões de um futuro enganador, decidiu fazer justiça com as próprias mãos e partir para atitudes drásticas. Pegou o telefone, buscou confiante o número dele na agenda e disse, assim que ouviu sua voz: "só estou ligando pra você no dia seguinte pra que você não se sinta um pedaço de carne usado por mim. Você tem brilho, importância e não é só um rostinho bonito. Obrigada."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:57

Custou um mês e quatro dias pra acontecer

por the fazz, em 13.08.09

- É impressão minha ou tá rolando uma tensão sexual entre a gente?

- Acho que não é impressão não.

- Hummm... o que a gente faz?

- É, a solução seria dissipar isso, né...

- É, acho que é o mais sensato... rolar alguma coisa entre a gente pode prejudicar um pouco os nosso projetos... a gente já tem duas novas propostas...

- É, eu sei. Essa coisa de misturar trabalho e relacionamento...

- É, definitivamente...

- Não, não pode.

- É, não pode.

Silêncio.

- Mas também vai ficar difícil trabalhar assim, de qualquer jeito... a gente tá criando eletricidade aqui.

- Sem dúvida.

- Tem que ter uma solução, eu não quero deixar de trabalhar com você. A gente tem sintonia de trabalho.

- E criar com você é um sonho, sempre admirei suas idéias.

- Eu sinto a mesma coisa...

- Já sei, eu tenho a solução. Muito boa por sinal.

- Manda.

- A gente deve se beijar.

- Deve?

- Mas tem que haver um esforço pra ser o pior beijo possível. Você pode fazer isso?

- Bem, eu posso tentar.

- Vai funcionar, acredite. A gente encerra tudo com uma experiência ruim e pronto, acabou a tensão. Ninguém mais gasta energia pensando em sexo, o que você acha?

- Bem, na falta de melhor idéia...

- Bem, prepare-se...

- Claro.

- Lá vai.

Beijo.

- E aí?

- Nossa, você se esforçou mesmo, acho que funcionou.

- Quê?

- Não pensei que você fosse mesmo levar a sério, eu só queria te beijar, de verdade.

- Mas eu...

- Tudo bem, tudo resolvido agora. Qual a próxima pauta?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D