Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Inversamente proporcionais

por the fazz, em 17.12.08

Ela odeia café. Mas aceita o café oferecido pelo chefe que nunca amou. Então não faz diferença se ele continua amargo ou não. O café, não o chefe que oferece o café. Ele se parece muito com esse café, ela pensa. De qualquer forma, toma um gole e compartilha com os colegas uma careta. Fica feliz pelo tapinha nas costas do moço bonito. Foge a tempo do contato indesejado do moço que cheira mal. Ela não entende como puderam reunir numa mesma empresa dois funcionários que representam com perfeição o fundamento dos elementos inversamente proporcionais. Ela só ouvira esses termos no ginásio, quando as pessoas da sua idade ainda chamavam ensino fundamental de ginásio.

O moço bonito não é só bonito. É um escândalo de beleza, charme e inteligência. E tem uma bunda incrível. O moço que cheira mal não é só mal cheiroso. Ele ri das próprias piadas machistas e já foi apanhado batendo punheta durante o expediente uma par de vezes. Essa é toda a equipe. Ela tenta ser produtiva e imagina que se todas as virtudes do moço bonito fossem divididas com o moço que cheira mal, o moço bonito não sairia no prejuízo. Metade dele já era bom demais e a outra metade já transformaria a ameba mal cheirosa num gentleman esculpido por Michelangelo.

A sua repulsa pelo moço mal cheiroso é diretamente proporcional à sua atração pelo moço bonito. A sua culpa por detestar tanto o moço mal cheiroso é o resultado da sua repulsa elevada à quarta potência. O seu esforço diário em criar situações que provoquem qualquer tipo de contato físico com o moço bonito cresce em projeção geométrica. Todos os dias ela vai pra casa e tenta se concentrar no fato de que o moço que cheira mal nunca a destratou. Pelo contrário, sempre é muito gentil e procura sempre cumprimentá-la com a mão que não usa para coçar o saco. Tenta lembrar-se disso sempre antes de dormir, mas o desejo de não dividir o mesmo ambiente que ele no dia seguinte lhe escapa por um instante, antes de adormecer.

Na manhã seguinte, desperta chorando copiosamente. Acaba de sonhar que o moço que cheira mal morrera de uma forma indescritivelmente trágica. Sente-se profundamente culpada pelos seus sentimentos de aversão e por uma fração de segundos, assiste nascer dentro de si uma afeição pelo moço repugnante. Deseja chegar no escritório e enlaçá-lo num abraço que dure 10 segundos (ou tanto tempo quanto puder prender a respiração) e contar-lhe do sonho terrível, relatar o alívio de saber que estava bem, que sua vida tinha brilho, magia e importância para os demais.

Com os olhos ainda marejados, desvia do chefe e do café amargos, e está diante do moço, mais bonito do que nunca, e do outro moço, mal cheiroso como sempre. Eles percebem sua expressão abatida, aguardando instruções de como proceder no caso dela precisar de algum apoio. Comovidos, o moço bonito mostra um sorriso afetuoso e o moço que cheira mal desaloja o dedo da narina esquerda. Ela observa os dois cuidadosamente. Conta sobre o sonho. Enxuga algumas lágrimas. Relata seu alívio. Declara seu carinho com palavras surpreendentemente doces. E então abraça por mais de 30 segundos o moço bonito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

"Hoje eu vim falar sobre os benefícios do cigarro".

por the fazz, em 02.12.08

- Há alguns dias eu vejo coisas lá fora, na janela. Das primeiras vezes, penso que é uma estrela cadente, e me apresso em pensar num pedido. Quando estou me preparando pra pedir que você esteja aquí, percebo que é só o vizinho do andar de cima jogando uma ponta de cigarro acesa de sua janela. Se eu fizer um pedido pra uma ponta de cigarro, o quanto meu pedido pode ser atendido? 10% dele?

 

- 8,9%, segundo Nostradamus.

 

- Ok. É a porcentagem que temos agora, ao telefone. Realmente funciona!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:33

Lentas horas

por the fazz, em 01.12.08

Que coisa insuportável vai ser esse dia sem você.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D