Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vamo lá, gente. Repitam comigo: FA-BÍO-LA

por the fazz, em 30.07.08

Algumas pessoas não sabem pronunciar o nome "Fabíola". Simplesmente não conseguem e não importa quantos esforços de repetição exaustiva eu faça. Quando eu era pequena, detestava meu nome. Faria tudo para ter um nome comum como Marta ou Paula. Achava um infortúnio ser sempre a única Fabíola da classe, às vezes, da escola. Encontrei apenas uma Fabíola bonita na vida. As outras eram bem feias, até mesmo as fictícias. Que eu me lembre, houve duas novelas com personagens batizadas com meu nome. Numa delas, havia uma mulher de meia idade, alvo de chacotas porque usava peruca. Na outra, Evandro Mesquita se passava por cabeleireiro homossexual. Fabíolo. Que desastre. A maioria esmagadora de pessoas que não sabem pronunciar meu nome são porteiros. Faobila. Fabília. Fabíia. E eu juro que isso não é preconceito, é estatístico. Assim também padecem, naturalmente, os gringos. Fabiuuula. Fabióóóóla. E alguns ruídos impronunciáveis. Americanos, uruguaios, ingleses, bolivianos e nordestinos, submetidos ao mesmo constrangimento que meus pais amenizaram quando preferiram "Fabíola" a Eloá. (Eloá! Por Deus...) Mas então, eis que surge a primeira real oportunidade de usar tudo isso a meu favor. Aproxima-se lentamente com uma confiança equivocada, o rapaz nada atraente que tem me olhado a noite inteira. Ele pergunta meu nome. Eu respondo triunfante: FAOBILA. Como? Faobila. Não é Fabíola? Não senhor. Faobila mesmo. E não bebi uma só gota de álcool. Ele perde o interesse instantaneamente, e se retira com um sorriso debochado. Ninguém sai ferido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:32

É fatal

por the fazz, em 25.07.08

Mulheres, não se enganem. Não subestimem os dias em que a única calcinha limpa na gaveta é aquela bege, desproporcionalmente grande e com dois furos. Nem os fatídicos dias em que só você deveria saber que não teve tempo de se depilar. Os dias em que nascem as apocalípticas espinhas sinalizando a crueldade no meio da testa. Não se deixem mais abater pelo dia em que o cabelo está desastrosamente desobediente. Nem mesmo aqueles dias em que, em caráter emergencial, você é vítima do conjuntinho mais desajeitado do seu guarda-roupa. Porque são justamente nesses dias, e nunca em qualquer outro, que surge inadvertidamente o homem de mais absoluto encanto que você planejou encontrar durante toda a sua vida. E acredite. Ele nunca nota qualquer uma dessas fatalidades.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:01

Estratagemas

por the fazz, em 25.07.08

Eu sempre fui muito criteriosa até com coisas bem triviais, sabe? Escolher toque de celular, por exemplo... Ah, não dá pra escolher qualquer tema. Isso diz muito da personalidade de uma pessoa. Veja só você... Eu gosto muito de uma banda de soul que usa só vocal, beatbox, contrabaixo e sax. Escolhi uma música deles como toque de celular. Mas presta atenção, é uma música curtinha, chamada sabe como? Bebeep. E o nome da banda, adivinha só. Tok Tok Tok. Porra, tinha que ser isso, meu toque de celular é uma metalinguagem, cara. Sensacional, falaí. Ahn? Claro, eu sabia que você ia ficar curioso. Liga pra ouvir, 8643.7877. Ah, e a propósito, aproveitando que o número já ficou registrado aí, meu nome é Fabíola.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:13


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D